ANA CAROLINA – Os meus VLOGS

Faz pouco mais de 3 meses desde que comecei o meu canal e achei que seria uma boa altura, para vos falar um pouco acerca da minha experiência, até então, no mundo do YouTube.

Eu comecei o canal um tanto quanto incentivada por amigos e pelos meus pais, já tinha pensado várias vezes em fazê-lo, mas o receio da aceitação, sempre me fez voltar com a ideia para trás. O que é bastante idiota, diga-se de passagem!

Mas felizmente superei esse medo e decidi investir em algo que eu sabia que gostava e em que eu acreditava que tinha algum talento.

Sempre me vi como uma espécie de “influencer”, as minhas amigas em especial, tinham o hábito de me dizer que se inspiravam em mim para isto ou para aquilo, e claro que eu gostava de saber que era tida como referência. Com o passar do tempo eu fui notando que realmente algo em mim inspirava aqueles ao meu redor, principalmente, a agir de x forma, fosse através de novas peças no guarda roupa, fosse na vida social.

Essa foi a minha principal razão para dar início a este projeto.

É recente e ainda não sei onde ele me poderá levar, mas eu sinto que estou a ter um bom início e que a resposta está a ser bastante positiva, é certo que quero continuar até quando puder com isto e quem sabe, um dia, poder-me dedicar a sério.

A todas as minhas leitoras que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer o meu canal, eu deixo aqui 2 vídeos, espero que gostem e não se esqueçam de subscrever, deixar um like e quem sabe, um comentário 😉

 

 

XX Carol

20 Imagens que te vão fazer (ainda mais) querer ir a Paris.

Hey Girls! Uma vez que estou ansiosamente a aguardar pela minha câmera  nova para começar os Vlogs, decidi trazer-vos hoje um novo estilo de post dedicado a destinos de sonho.

O primeiro destino não poderia ser outro senão Paris. Fui apenas uma vez lá quando tinha ainda 17 anos e foi sem dúvida uma das minhas viagens favoritas.

Infelizmente não tenho grandes fotografias minhas de quando lá estive, mas fiz uma pequena pesquisa e encontrei algumas das melhores imagens para vos aliciar a conhecer a cidade das luzes ❤

 

XX xx Carol

(4 beijos à moda francesa 😉 )

Querido Ex Namorado

“Podíamos ter sido tudo, mas preferiste fazer de nós nada.

Não sei em qual dia acordaste e viste que eu já não era boa o suficiente para ti. Não sei quando te apercebes-te que afinal eu não era alguém que quisesses apresentar aos teus amigos e chamar de tua namorada. Será que alguma vez fui mesmo TUA NAMORADA?

Eu achava que sim. Eu achava que gostavas de mim, tanto quanto eu gostava de ti e que falavas de mim tanto quanto eu. ENGANEI-ME.

Um dia deste-me a mão e soltaste-a, quando quem não devia ter notado, notou. Um dia abraçaste-me rápido e desfizeste o abraço, mais rápido ainda, quando percebeste que não estávamos sós.

De um dia para o outro, passaste a dizer-me que sentias muito mais do que mostravas e eu acreditei, porque doía mais se não acreditasse.

Devia ter ido embora quando amar-te passou a ser sinónimo de sofrer. Devia ter-te esquecido, quando te disse que para mim estava tudo acabado. Quando me mentiste, quando me fizeste sentir vergonha de ser como sou ao pensar que não era boa o suficiente, para ti e para os teus amigos que nunca sequer desconfiaram da minha existência. Devia ter-te ignorado, da mesma forma que tu me ignoraste ou castigaste, por às vezes ser ingénua demais para ver a maldade nos outros, que pareciam sempre querer tirar partido de mim.

Eu devia ter-te ignorado quando me procuraste, quando me fizeste perceber que ainda me amavas, quando me fizeste acreditar que ainda havia salvação para nós os dois…

Nunca te percebi, nem vou perceber… um dia queres-me só para ti, no outro nem te lembras que existo…

Cansei de ser lembrada só de vez em quando, quando não há ninguém melhor para te ocupar o tempo.

Desculpa a minha sinceridade, mas cansei de ser usada.

Espero que sejas feliz e não te desejo mal algum, mas para mim adeus é adeus e se foste covarde para nunca me dizer isso na cara, talvez eu seja corajosa para me despedir pelos dois.”

Mais um dos meus textos aleatórios, depois de uma temporada longe do blog!

XX Carol

Eu ia até ti. Eu ia porque sabia que precisavas e porque queria que precisasses de mim, tanto quanto eu precisava de ti. Eu ia porque tu me disseste “também te amo” quando eu já estava prestes a explodir em lágrimas.

Estava tão preocupada contigo que não pensei duas vezes quando me pediste para ir a teu encontro.

Eu fui porque não havia outra forma de ficar descansada, ouvindo a tua voz do outro lado do telefone em tom melancólico de choro a chamar por mim, as 2 e 4 da manhã.

Sabia que havia consequências em vir a teu encontro, e que elas iam acabar por me acertar em cheio na cara como sempre acontecia. Eu ia criar expectativas e esperar que reconhecesses o meu esforço e ia acabar desapontada contigo e mais ainda, comigo, porque sempre esperava por algo melhor, algo que nunca aconteceu.

Mas lembras-te quando queríamos o mesmo? Quando sentíamos exatamente o mesmo…

Eu quero que saibas que não importa onde e como acabamos, mas a qualquer hora eu vou embora e nessa altura eu espero que já tenhas seguido em frente, porque eu já vou estar longe. Sei que ainda vou sorrir quando te ouvir falar e ainda vou perguntar “Que foi? ” quando ficares demasiado tempo a olhar para mim de cenho franzido, porque há coisas que nunca mudam e tu nunca vais mudar, tu nunca mudarias por ninguém e talvez esteja mesmo aí o meu grande erro. Esperar pelo dia em que mudes por mim… Mas pelo menos eu sei onde eu erro, oxalá soubesses onde erras também!

Eu só queria que me segurasses nos teus braços e me desses a garantia de que era ali que pertencias e querias estar, comigo.

Um dia eu vou saber que tu conheceste alguém que te conseguiu dar aquilo que eu não sabia que precisavas. Nesse dia eu vou chorar, provavelmente como nunca chorei antes. Mas não faz mal, todos nós choramos vez ou outra e não há nada melhor do que deixar tudo aquilo que conservamos, nos escapar no soluço de um choro.

Nunca vou guardar rancor, mas também vou procurar não guardar nada, apenas para tentar garantir que eu fui até ti, até onde me foi permitido, mas também fui embora, quando chegou a hora do adeus.

 

XX Carol

“para que eu pudesse ser dele, sem que nos pertencêssemos”

Eu não sei se amor e sanidade são a mesma coisa, mas quando estou apaixonada eu sei que o mundo ganha sentido para mim. Eu sei que amar não é saber tudo, mas quando ele foi embora eu passei a não saber nada.
Sei quem ele é, como ele é, e do que ele gosta, mas não sei mais que isso.
Houve um dia em que nos amámos e um dia em que nos deixámos estar.
Estar longe.
Estar sós.
Ele amou-me uma vez e eu amei-o de volta. Coisas aconteceram e nós estagnamos e aqueles momentos de dúvida acerca do que eu sentia ficaram a pairar no ar. Eu queria tê-lo sem o ter por completo, mas tendo-o apenas para mim, para que eu pudesse ser dele, sem que nos pertencêssemos, mas nos preenchêssemos o bastante para não haver ninguém entre nós.
Eu não fui o suficiente e talvez eu seja culpada, mas eu deixei que a culpa fosse minha, porque eu sabia que era.
Agora olho para a janela do meu quarto e vejo-o lá e aquela insistente lembrança consome-me como um relógio TIC TAC que nunca para, nunca me deixa em paz, mas não quero que me deixe, porque sem ela eu estou sozinha.

  • Texto da minha autoria inspirado num poema de Neil Hilborn do livro Our Numbered Days

XX Carol

DIY – Mesa de Mármore – Faz tu mesma <3

Hey Girls! Hoje trago-vos um DIY 100% da minha autoria ahah

Eu não sei quanto a vocês, mas eu pessoalmente adoro todas aquelas fotografias do Instagram, Pinterest, WeHeartIt e bla bla bla, de objectos fashion sobre mármore, mas infelizmente não tenho nenhuma mesa nem nenhuma superficie de marmore em casa, o que não seja um problema só meu, então resolvi criar a minha própria superfície em mármore.

COMO?

AHAH muito simples!

Eu limitei-me a fazer uma pequena pesquisa no Google “Mármore Wallpaper” ( <- Clica para obteres a mesma imagem que eu utilizei), até encontrar a imagem certa, que fosse grande o suficiente para não desfocar em tamanho A3 e fui a uma tipografia, mandar imprimir em papel mais resistente.

Este foi provavelmente o DIY mais barato que já fiz, nem sequer paguei 50 cêntimos e o resultado foi melhor do que o esperado! ❤

Eu espero que tenham adorado a ideia tanto quanto eu, e se forem pô-la em prática, não se esqueçam de partilhar nos vossos instas com o HASHTAG #carolswardrobeDIY ❤

Aqui ficam algumas ideias ❤

XX Carol

 

Como usar High Knee Boots -Botas altas *

É mais do que evidente que este ano, as botas acima do joelho estão na moda. Em qualquer loja de rua ou Shopping encontram-se. De salto alto ou baixo, pretas, camel, cinzentas, estampadas com ou sem apliques, de diferentes materiais para todos os gostos. São uma febre deste inverno e claro que garante um toque especial e único ao look, para qualquer uma que não tenha medo de ser audaz.

Aqui ficam algumas dicas e sugestões:

XX Carol