Recomeçar.

Eu estive bastante ausente nos últimos meses. Ao que parece, a minha vida deu algumas outras tantas voltas que eu não esperava e eu vi-me completamente desmotivada para escrever, ou sequer, querer manter o blog.

Eu sou muito inconstante, é verdade, e essa inconstância tem me atrapalhado bastante nos últimos anos da minha vida, o que se reflete em tudo um pouco, até aqui, no blog…

Eu hoje acordei com o mesmo espírito dos últimos tempos, talvez até um pouco mais nostálgica, sonhei com alguém que eu amei (e talvez ainda ame) e isso tocou-me mais do que devia, mas também acordei com um sentimento de insatisfação. Senti-me aborrecida comigo mesma e com a minha atitude perante a vida. Saber que não sou quem eu estou a demonstrar ser deixou-me completamente perdida, então eu parei para refletir.

Eu tenho 22 anos e sei quem sou, eu sei do que gosto e do que não gosto, eu sei o que quero e certamente sei o que não quero para mim, então o que está a falhar?

Eu tenho pais e irmã maravilhosos, eu não vivo à larga, mas não sou nenhuma pobre coitada também, eu sou nova e tenho toda uma vida à minha espera, não me falta nada! Mas então porque é que eu vivo em constante insatisfação?

Eu não sei, nem sei quando vou saber a resposta a esta questão, mas eu sei que enquanto eu me mantiver assim, em pausa para mim mesma, eu não vou obter resposta alguma.

Hoje, dia 4 de Novembro de 2017 eu decidi que isso tinha de mudar. Eu quero mudar os meus hábitos, as minhas rotinas, eu quero me dedicar mais e entregar-me mais ao que eu gosto e ao que eu ambiciono, e hoje é o dia perfeito para isso!

Vou caminhar com bastantes incertezas dentro de mim, mas nada é certo na vida e eu sei que estou pronta para o que der e vier.

Obrigada a qualquer um que tenha lido este texto até ao fim, espero ouvir de vocês muito em breve,

 

XX Carol

A quem eu deixei ir…

Eu aprendi a viver sem ti. Pode não ter sido da maneira mais fácil, mas já passou, já foi!  Agora pouco dói, há dias em que nem me recordo de como era estar do eu lado.

Fizeste tanta questão de me afastar do teu mundo, que acabaste por me fazer não querer pertencer a ele e não sei se lamento por teres perdido a única pessoa que te amava de verdade ou se agradeça a mim mesma por finalmente ter aberto os olhos.

Estava tão habituada a te ter ao meu lado, que nem percebia que, na verdade, eu é que estava do teu. Eu é que ia ter contigo, eu é que te procurava, te chamava. E das poucas vezes em que eras tu a fazê-lo, era porque precisavas de algo, e como em tantas outras vezes, eu estava sempre disponível para tudo, porque te amava e pensava que tu me amavas também, ainda que de uma maneira um tanto estranha e distorcida.

Sofri muito quando me magoaste pela última vez, mas sofri por menos tempo.

Algo por trás da mentira me fez perceber que, aquela seria a última vez que eu te deixava, partir me o coração.

Não sei se foi o cansaço que venceu, a humilhação ou a espera demasiado longa por um pedido de desculpas que nunca chegou a vir, eu apenas sei que de um dia para o outro acordei e decidi dar um basta!

Eu tinha falta de amor-próprio, falta de afeto, falta de carinho, falta de atenção, falta de amor.

Achava que contigo, todas as minhas carências iam passar, mas foi preciso te deixar ir, para perceber que toda a minha falta, tinha um nome e não era o meu.

Eu agora sei quem sou e quanto eu valho! Não preciso de ninguém para me sentir amada, porque eu sou mais que suficiente.

Obrigada a ti, por me teres feito ver a idiota que eu era, ao pensar que sem te ter, não me tinha!

XX Carol

 

 

Novas Fases

Estamos no início de 2017, ainda que hoje seja o 23º dia do ano, tenho muito pela frente e acredito que tal como eu, muitas de vocês fizeram planos e listas de tudo aquilo que querem realizar este ano e tudo o que simplesmente optaram por deixar ir para seguir em frente.

Eu pessoalmente, passei por enumeras situações decisivas nos últimos meses. Vi-me obrigada a dizer “adeus” a muita coisa que eu nem sequer percebia que me faziam mal.

Tomei decisões importantes e fechei os olhos a tudo e a todos, para que desta vez, nenhuma opinião alheia, fosse afetar as minhas tomadas de decisão.

Estou neste exato momento, sentada, a escrever e a pensar naquilo quero para mim, naquilo que preciso para realmente me sentir realizada comigo mesma, enquanto tento de alguma forma, criar hábitos novos na minha vida e tentar tornar todo o tempo que eu tenho, o mais produtivo o possível. Quero escrever mais, ler mais, aprender, tornar-me mais dinâmica e influenciar positivamente outras pessoas e outras vidas.

Eu não sei ainda como vou fazer isto tudo, mas eu quero fazer, e querer é o 1º passo para realizar! Agora eu só tenho de tornar isto real!

Com este post, eu gostava de pedir a todas vocês, leitoras queridas, que me deixassem algum comentário, alguma sugestão daquilo que gostariam de ver no blog, para que eu tornar as minhas aspirações em algo real, não só para mim, mas para todos os que me seguem e me acompanham.

XX Carol