Eternidade (aqueles textos de inspiração momentânea)

Diz-lhes que me sentes.

Quando acordas de manhã e eu sou o teu primeiro pensamento, quando ligas a água fria do chuveiro e lembras-te de que eu prefiro quente, quando te perguntam o que tens feito e tudo o que te ocorre são memórias nossas.

Diz-lhes que me pertences, que quando estamos distantes, contamos os dias, que planeamos viagens que nunca iremos fazer e sonhos (quase) impossíveis. Ouvimos a chuva cair lá fora, deitados lado a lado e mesmo assim, nunca parece ser perto o suficiente.

Diz-lhes que te encontraste, quando te disse olhando no fundo dos olhos que eu também te sentia, eu também te pertencia.

E se amanhã eu não estiver mais aqui, não quero que sintas saudade.

Saudade é um sentimento longínquo e tudo aquilo que construímos, independentemente que sigamos ou não caminhos diferentes, será sempre eterno.

 

XX Carol

 

Comenta aqui!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s